Calcas academia legging fitness

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Sedentarismo: corra dele neste ano

Ainda que cama seja macia, o sofá seja quentinho e a programação da TV se mostre atrativa, não existe nada melhor do que um bom exercício físico para acabar com as tensões do dia-a-dia e aliviar as famosas dorzinhas na nuca e nas costas.
Infelizmente, na atualidade, ainda é possível perceber que certas pessoas aceleram a rotina de trabalho, mas não "correm" em busca de uma vida saudável. Ainda que os médicos aconselhem, a televisão instrua e a mídia estimule, o sedentarismo já é praticamente um integrante da família brasileira, uma vez que grande parte das pessoas vive usando a falta de tempo como desculpa para não frequentar uma academia ou recusar uma caminhada no parque.

Dores na nuca: males do stress? De acordo com dados do Hospital do coração de São Paulo, mais de 80% da população está enquadrada em um perfil sedentário, que não busca nenhum tipo de atividade física para melhorar a saúde e a qualidade de vida

E por mais raro que possa soar, a incidência de indivíduos com dores inespecíficas ou imprecisas (por todo o corpo e principalmente na região da nuca) que procuram hospitais ortopédicos, estão dentro deste perfil, conforme revela Leandro Gomide, médico do Hospital Orthomed Center, de Uberlândia. "Mais de 90% destas dores são causadas pelo sedentarismo.

São pessoas que não praticam nenhum tipo de esporte e que, muitas vezes, apresentam algum tipo de alteração psicológica – como stress, ansiedade e depressão -, associada a essa patologia. O mais engraçado é que mesmo sabendo disso, o indivíduo começa uma tentativa desenfreada de resgatar a saúde física, cardiovascular, muscular e mental somente após uma emergência cardiológica, o que é um fato lastimável", revela.

Promessa de ano novo
No final de ano, a taxa de indivíduos considerados estressados aumenta cerca de 85% e encabeça a lista de queixas nos consultórios, onde a maioria alega uma forte dor por "tensão". Mas segundo o ortopedista do Hospital Orthomed Center, não obstante deste fato, a dificuldade de iniciar uma atividade física é muito grande, já que muitos preferem continuar na "zona de conforto" e no comodismo, itens que falam mais alto do que qualquer outro benefício que um exercício possa trazer.

"Quando alertamos nossos pacientes e pedimos para que eles deixem o sedentarismo de lado, o que mais ouvimos são as famosas frases: É mesmo. Preciso me mexer mais ou vou começar na próxima semana , não tenho tempo e a mais temível de todas: o tal do começarei algo no ano que vem", conta. "O que todos precisam entender é que o sedentarismo precisa ser cortado hoje e não pode se transformar em um objetivo que irá ser jogado para o rol de ações que não foram realizadas em 2009. É aquele caso de empurrar com a barriga.
Sempre lançamos o que é mais benéfico para nossas vidas para o ano que vem. E assim vai ser: de 2008 para 2009, de 2009 para 2010, em uma irrelevância que só tende a crescer", reitera o médico.

"Ais" e "Uis" nunca maisMas se até agora você não se convenceu que as famosas dores na nuca e no corpo são indícios fortes de sedentarismo e que é preciso se mexer para aliviar o desconforto, preste atenção.

Estudos comprovam que exercitar-se regularmente diminui não só os "ais" e "uis", como também melhora o sono, os níveis de açúcar no sangue (ótimo para os diabéticos), de colesterol, reduz o risco de infarto e de derrame cerebral, controla a pressão alta, previne a obesidade, aumenta a serotonina (e outras substâncias que influenciam no funcionamento do cérebro – proporcionando a sensação de bem-estar e fornecendo estímulo para enfrentar com mais disposição as atividades do dia-a-dia), potencializa o rendimento físico, fortalece os músculos e as articulações e muitas outras coisas.

Além do mais, deixar o macio sofá e se esmerar em uma caminhada diária de 30 minutos reduz significantemente as dores musculares por contratura ou tensão. "Sempre nos preocupamos muito com este mal que acomete a vida moderna. Buscamos combater o sedentarismo para que todos tenhamos uma vida mais saudável e duradoura", comenta Leandro Gomide.

E por falar nisto, você já se exercitou hoje ou vai deixar para o ano que vem?

Fonte: farolcomunitario

2 comentários:

tatiana.khnychala disse...

Nossa, muito pouco,né?!!!
Somente 20% da população não é sedentária......

Nil Procópio disse...

Pouco mesmo, mas as pessoas a cada dia estão se conscientizando q não vale a pena ser sedentário.